Skip to main
Service Solutions

Mamadou fala sobre a própria carreira na Bosch e o recomeço nas Filipinas

Entrevista com Mamadou, Head da Bosch Service Solutions nas Filipinas

Mamadou na frente de um mural, olhando para a câmera

Mamadou começou a carreira na Bosch em 2008, quando estagiou no serviço de atendimento ao cliente da Bosch Service Solutions na cidade de Magdeburgo, Alemanha. Em três anos, ele veio a se tornar gerente de operações e, em 2013, entrou para a equipe de uma das principais companhias aéreas alemãs na mesma função. Mais tarde, foi designado gerente global de operações e, nos últimos tempos, ocupou o cargo de gerente de contas-chave globais. Em fevereiro de 2020, Mamadou assumiu o cargo de Head da Bosch Service Solutions nas Filipinas.

Compartilhe isto em:

Como você e sua família se adaptaram à nova vida em Manila?

Adoramos a experiência de morar em um novo país, com cultura diferente e novas responsabilidades como responsável técnico e comercial. Não via a hora de realizar minhas novas tarefas e morar em Manila. Foi muito bom receber boas-vindas tão calorosas. A acomodação e a adaptação não acontecem do dia para a noite, e as atuais restrições impostas pelo coronavírus trazem grandes desafios. Mas estou pronto e disposto a enfrentá-los.

Existe alguma diferença cultural entre a Alemanha e as Filipinas?

Sim, sem dúvida que existem diferenças. Na comunicação, por exemplo. Em Magdeburgo, eu recebia feedback diretamente dos funcionários, alguns deles na forma de críticas. Em Manila, a maioria dos funcionários é muito reservada. Estou tentando convencê-los que feedback construtivo ajuda a melhorar nossos negócios. Uma das coisas que eu adoro é o forte sentimento de comunidade entre os funcionários. Acho isso um grande motivador.

"Uma das coisas que eu adoro é o forte sentimento de comunidade entre os funcionários."

Você passou muito tempo pensando na oferta de Manila?

Não, porque venho trabalhando com afinco por um cargo como responsável técnico e comercial há muitos anos. Para mim, pessoalmente, a mudança para outra cidade ou país não é problema. Na infância, minha família se mudou muitas vezes, e eu já morei quatro anos em Mali. Para minha esposa, a decisão foi mais difícil. Passamos bastante tempo falando no assunto. É muito importante para mim que minha família fique feliz em Manila.

Qual você vê ser o segredo da sua carreira de sucesso?

Paixão e ambição. O fato de eu falar inglês e francês também me ajudou. E, claro, também tive uma pitada de sorte. Conhecer nosso negócio dos pés à cabeça e conseguir desenvolver minhas habilidades gradualmente foi de grande ajuda. Sonhar grande é ótimo, mas há de se ter uma dose saudável de realismo. No início da minha carreira, eu tinha cargos na minha mente para os quais claramente não estava preparado. É preciso ter paciência e seguir, sem esmorecer, o caminho escolhido. Mesmo se as coisas nem sempre saírem de acordo com os planos.

Como você lidou com o repentino distanciamento social em Manila por causa do coronavírus?

Olha, no começo foi um choque. Em questão de poucos dias, a capital entrou em estado de emergência. Foi uma situação desconhecida para todos, e eu tinha acabado de começar meu novo cargo. Precisamos trabalhar em equipe para nos adaptar às novas circunstâncias, o que acabou nos aproximando. Todos os funcionários aqui foram incríveis. Alguns deles até levaram os monitores para casa, na garupa da bicicleta, para poderem trabalhar remotamente.

Quais mudanças de longo prazo poderão permanecer após a crise?

Eu acredito que veremos modelos de trabalho mais flexíveis no futuro. Durante toda a crise, provamos aos nossos clientes que conseguimos reagir com rapidez e proporcionar o mesmo nível de serviço, mesmo trabalhando de casa. A aceitação dos novos modelos de trabalho, por isso, teve um aumento acentuado. As maiores vantagens de trabalhar de casa, no meu ver, são horários de trabalho mais flexíveis e economia de tempo para os funcionários. Esse é um desdobramento positivo, especialmente para quem mora longe do trabalho – algumas pessoas demoram até duas horas para chegar ao escritório.

Você já trabalha na Bosch Service Solutions há 12 anos. Do que mais gosta na empresa?

Eu gosto do fato de ter podido seguir um caminho profissional pouco convencional. Eu comecei como estagiário, mas em pouco tempo me dei conta que gosto de trabalhar e que poderia desenvolver minhas habilidades aqui. Agora sou o responsável técnico e comercial em Manila, uma conquista de que me orgulho muito. E tudo isso apesar de não ter concluído meus estudos. Eu também estou feliz de a Service Solutions fazer parte do Bosch Group, o que me dá segurança e estabilidade. Ao mesmo tempo, todos que trabalham na nossa unidade de trabalho são ágeis e flexíveis. Essa é uma combinação fantástica, o segredo do nosso sucesso.

Quais são suas metas em Manila?

Queremos continuar a crescer fazendo sucesso e dando lucro. Queremos consolidar nossa posição como principal Centro de Atendimento com o idioma inglês na rede de Service Solutions e desenvolver ainda mais nossas habilidades na área de design e automação de serviços. Nos próximos meses, vou desenvolver uma estratégia adequada com a minha equipe.

O que você costuma fazer no tempo livre?

Eu adorava esportes em equipe, especialmente basquete e futebol. Infelizmente, não ando com tempo para isso. Gosto também de tocar violão e pescar. Eu já conhecia Manila muito bem, depois de tantas viagens de negócios para cá. Sei de alguns lagos muito bonitos na área, ideais para pescar. Para mim, é o jeito perfeito de aliviar o estresse.

Ligue para nós

Escreva para nós

Fala connosco